Mobilidade infantil e a segurança no trânsito

Incentivar a autonomia das crianças na iniciação como pedestre é fundamental para o seu desenvolvimento cognitivo social. Mas, pode trazer muitas dúvidas para os pais, responsáveis ou cuidadores e é normal. Afinal, estamos falando da segurança das crianças e adolescentes, enquanto protagonistas na promoção de entornos seguros e protetores.

Dados do Ministério da Saúde, analisados pela ONG Criança Segura, indicam que os sinistros de trânsito são a principal causa acidental de morte entre crianças de até 14 anos. Outro dado preocupante é que 36% desses óbitos aconteceram quando elas estavam na condição de pedestre ou ciclista, ou seja, em espaços comunitários.

“Movimentar-se pelos espaços públicos é uma forma de crianças e adolescentes ampliarem sua autonomia, adquirirem maior noção de orientação especial e vivenciarem os sentimentos de pertencimento e convivência comunitária. Porém, muitos desses espaços não são pensados para a circulação segura dos pequenos. Por isso, é tão importante que pais, familiares e cuidadores ensinem as crianças a transitarem pela cidade de forma segura e tomem alguns cuidados para minimizar os riscos e evitar que as experiências relacionadas à mobilidade não resultem em nenhum tipo de lesão”, destaca Erika Tonelli, coordenadora geral do Instituto Bem Cuidar, unidade meio da Aldeias Infantis SOS para gestão do conhecimento e responsável pela continuidade do legado da ONG Criança Segura.

Veja algumas orientações que contribuem para garantir entornos seguros e protetores para as crianças pedestres:

  1. O mais importante que se pode fazer para se ensinar um comportamento eficiente e seguro para um pedestre é praticá-lo, portanto seja um bom exemplo!
  2. Crianças menores de 10 anos não devem andar desacompanhadas de adultos. Isso porque, em geral, até essa idade elas ainda não desenvolveram plenamente diversas capacidades cognitivas, físicas e emocionais necessárias para se manterem seguras em vias públicas.
  3. Segure sempre a mão da criança, de forma firme e pelo pulso, enquanto estiver caminhando na rua.
  4. Ensine as crianças as regras de trânsito, como a identificar os sinais de travessia de pedestre e os semáforos, utilizar a faixa de pedestre sempre que disponível, olhar para os dois lados várias vezes antes de atravessar a rua, a atravessá-la só quando estiver livre e continuar olhando para os dois lados enquanto caminha. Uma dica é tornar o aprendizado divertido, então que tal usar carrinhos de brinquedo para encenar algumas situações rotineiras de trânsito?
  5. Não permita que crianças brinquem em locais que não são adequados, como entradas de garagens, quintais sem cerca, ruas ou estacionamentos.
  6. Explique às crianças que elas nunca devem correr para a rua sem antes parar e olhar se vem carro – seja para pegar uma bola, o cachorro ou por qualquer outra razão.
  7. Fale para as crianças que elas não devem atravessar a rua por trás de carros, ônibus, árvores e postes. Elas devem fazer contato visual com os motoristas antes de atravessar a rua para ter certeza de que foi vista.
  8. Caso precise transitar por ruas com menos iluminação ou até mesmo em períodos com pouca luz, é indicado que usem roupas claras e, de preferência, com materiais reflexivos em mochilas ou calçados.
  9. Quando já estiverem em idade para andar de forma autônoma, oriente as crianças e adolescentes a evitar áreas em que ocorre alto consumo de álcool. E, no começo, indique que usem ruas menos movimentadas.

Se você ficou interessado no tema e quer aprender mais, baixe gratuitamente o e-book Mobilidade, clicando aqui! E para aprender mais como evitar os acidentes mais comuns com crianças, participe do treinamento gratuito “Prevenção de Acidentes no Dia a Dia”. Faça sua inscrição!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *